sexta-feira, 13 de abril de 2018

Sim, ainda estou viva...


Resultado de imagem para inteligente
Imagem da net

Cansada, é certo, mas "vivinha da silva".

Estive a fazer a minha habitual travessia no deserto que consiste, mais ao menos, no seguinte: não escrevo parvoíce nenhuma mas não deixo de ler o que os outros escrevem. E, acreditem, tenho aprendido muito nas últimas duas semanas.

Apraz-me registar que são cada vez em maior número aqueles que escrevem como se não tivessem qualquer dúvida. 

Devo ser mentecapta. Só pode...

É que, com os meus longos 53 anos, sou uma pessoa cheia de dúvidas. Quanto mais aprendo (sim, tenho aquela terrível mania de que o conhecimento não ocupa lugar e que crescemos sempre mais, enquanto pessoa, quando aprendemos mais qualquer "coisinha"), mais dúvidas tenho.

E, para ser coincidente, quanto mais conheço as pessoas menos as entendo.

Mas, enfim, do mal o menos, fico contente quando vejo pessoas com 20, 25 anos, plenos de sabedoria, a escrever comentários como se fossem doutorados em afectos.

Um verdadeiro fenómeno, é o que vos digo.

Acho que vou deixar de escrever sobre afectos. Já tudo foi inventado e só não aprendeu quem estava muito distraído...como eu.

Resta-me ouvir músicas como esta:




17 comentários:

AFRODITE disse...


Aleluia! :))
Estava a ver que tinha de recorrer a outros meios para saber de ti ;)

Gostei da tua crónica! Eu não compro chavões nem verdades absolutas... pois o que é certo para uma pessoa pode não ser para outra (e o mais provável é que não seja mesmo!)
Já agora... aquela afirmação ali em cima soa-me a esquisita e não subscrevo! (só a foto assusta)

Gostei de que tivesses dado notícias.
E enquanto te escrevia... estive a ouvir a música.

Beijinhos
😘 🌹

Kique disse...

Bonita musica e bem vinda de novo
Bjs
https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

noname disse...

Não concordo!
Porque raio há-de deixar de escrever?
Escreve do que sabe, por conhecimento e por vivência, creio.
Escreve porque quer, e porque sim, não lhe basta?
Essas criaturas jovenzinhas, um dia, vão abrir o olho, e dar-se conta da quanta arrogância que tinham.
Afinal, não passamos todos pela idade do mete nojo?
Cabe a quem já passou essa linha de idiotice, fazer triagem, e sorrir condescendente.

Boa noite, tenha um bom fim de semana :-)


Portugalredecouvertes disse...


eu penso que devemos escrever nem que não tenhamos uma licenciatura de afetos !
a cada época da nossa vida, o conhecimento dos afetos tende a mudar, e o querida e amor tornaram-se tao comuns, que é difícil acreditar que tenham perdido a consistência , mas talvez possam ser usados por e para um maior numero de pessoas !
então bom fim de semana,
e um grande abraço
Angela

YellowMcGregor disse...

Do que li, só te podes apropriar da expressão do Scolari e perguntar «E a mentecapta sou eu???»

Com um ramo de :-) (sorrisos)

Janita disse...

Feita a 'prova de vida'- estou a brincar :) - só falta saber se te encontras de boa saúde...o resto? Oh, meu Deus Ni, o que mais há por essa blogosfera fora é gente convencida ser dona da verdade, de tudo saber e em nada se enganar, muito menos ter dúvidas, e olha, nem é preciso ser gente inexperiente e muito jovem.
Presunção e água-benta...

Beijinhos e não estejas muito tempo sem escrever.
Gosto de te ler!

NI disse...

Afrodite, por vezes preciso de ir até à "minha ilha".

Para mim os c não são preto ou branco. Daí que não critique opções pessoais nessa matéria nem nunca firmo que "dessa água não beberei" porque só quem vive uma situação a sente. Há mesmo situações que nem nos é lícito imaginar. Mas é a minha opinião.

Quanto à música...bom, daquelas que adoraria dançar bem agarradinha. Não podendo, vou ouvindo bem alto e deixar-me enbalar.

:)

Beijo

NI disse...

Kique, esta música é daquelas que consigo ouvir em modo repeat.

Obrigada. Vou regressando...devagarinho.

Beijos

NI disse...

noname, estava apenas a ser irónica. :)

Costumo dizer que enquanto somos jovens temos tendência para a "arrogância inocente". Aquela que nos faz pensar que vamos conquistar o mundo. Aquela que, quando bem doseada e orientada, nos ajuda muitas vezes a superar obstáculos. Tal qual aquela ideia de pensarmos que vamos mudar o mundo.

O problema é que quando transformámos essa arrogância como forma de estar e de ver os outros.

Beijos

NI disse...

Angela, cada um de nós sente os afectos de forma diversa. E, ainda por cima, estão em constante mutação. É essa a beleza dos sentimentos.

:)

Beijos

NI disse...

yellow, é mesmo isso, ahahahah

Janita disse...

E o que escrevi aqui, NI?...Foi para o rol dos esquecidos?
Ai, ai...

NI disse...

Janita, tens toda a razão. Mea culpa que não fui ver se tinha mais comentários para publicar. :)

De resto, estou bem mas completamente esgotada porque não bastava ter sido assaltada, a minha querida pen, que tinha todo o meu trabalho, queimou. E como a je é uma descuidada de primeira e não tinha uma segunda cópia, tal significa que tudo o que fiz nos últimos 10 anos (para não falar de fotos e afins), foi tudo à vida.

Mas, enfim, são menos umas horas de sono.

E, sim, concordo com o que dizes. :)

Beijinhos

Janita disse...

Que azar, NI...:( Mas, olha, a vida continua, tens de superar essas contrariedade da vida. Sei que tens força interior para isso. Leva é tempo, pois leva.

Um beijo, boa semana e muita força, Ni!

Francisco o Pensador disse...

Nina, se essa uma forma encriptada de dizeres que mais me conheces...mais pareço um mistério para ti? :))
Com 20 e 25 anos estava muito longe de poder ser doutorado em afectos mas apraz-me dizer que fui responsável pelo nascimento de muitos. A vida é feita de momentos, uns para recordar e outros para esquecer, mas todos eles vão fazer parte da nossa história e vão ensinar-nos o que sabemos sobre saber viver. Percebo a tua critica e acho que a música do Alan Jackson não poderia ter sido melhor escolhida para ela. Acho que só começamos realmente a viver a partir do momento que receamos deixar de conseguir fazê-lo. Gostei especialmente da parte que diz."lembra-te quando os 30 parecia velho mas agora que olhamos para trás é apenas a primeira pedra do caminho"...

Querias saber a minha opinião e aqui está ela. Adorei. :)

Bjs

NI disse...

Janita, não há outra coisa a fazer.

Beijinhos

NI disse...

Francisco, como se diz no Norte: "a ti conheço-te de ginjeira". :)

Mais a mais, perdi a capacidade de mensagens encriptadas.

Mas, voltando ao tema, sempre desconfiei daquelas pessoas que nunca têm dúvidas e que assumem as suas verdades como se fossem as verdades dos outros. Ainda por cima quando pouco sabem da vida porque ainda não tiveram grande tempo de a viver.

Quanto à música, não me canso de a ouvir. :)

Beijos

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso