segunda-feira, 31 de julho de 2017

Podia-me dar para pior...



Como sei que se aproxima mais uma noite de insónias e como a "je" é uma mulher prevenida, parei temporariamente com o dossier que trouxe para estudar e já tratei de fazer uns jesuítas para agradar ao estômago durante a noite.
 
No entretanto, e porque sou uma verdadeira cota, estou a ouvir estes meninos que, creio, poucos do que param neste estaminé terão ouvido.


Mi madre...estou mesmo caquética!!!

 
 
Nota - Amanhã envio os selos aos participantes no Desafio Semanal. Não era difícil.

Da confiança...ou da perda da mesma...


 Imagem da net
 
 
 
Em matéria de afectos não somos iguais. Não há uma linha comum a todos os seres humanos. Todos nós gerimos os afectos e as emoções de acordo com o que sentimos e racionalizamos.

O despirmos a nossa alma e os nossos segredos mais profundos a uma determinada pessoa é, acima de tudo, um acto de confiança e de coragem.

Confiança porque acreditámos que essa pessoa merece que sejamos um todo e não pequenas partes.

 Coragem, porque lhe estamos a confessar como nos pode destruir através dos afectos.

 E essa confiança é cega?

E quando a nossa confiança é traída qual é o mecanismo de auto-defesa que temos?

Criámos uma redoma protectora? "Pagámos da mesma moeda" ou somos fiéis à nossa forma de ser?

E se decidimos partir? Como se gere a saudade dos momentos de cumplicidade?

Sou daquelas pessoas que dificilmente mantenho uma relação depois da confiança ser quebrada.

Há quem confunda esta minha postura com orgulho ou com alguma dificuldade da minha parte em perdoar.

Aceito tal interpretação mas não concordo.

É que, para mim, a confiança é como uma simples flor. Ora, se amassarmos uma flor na nossa mão ela perderá, inevitavelmente, algumas pétalas.
 
E, quer se queira ou não, a flor nunca mais voltará a ser a mesma.
 
Se me perguntarem qual o tema que para ti representa a paixão? Eu responderia este:...
 
 
 

Desafio Semanal #2



O desafio desta semana ainda é mais simples que o anterior.

Em baixo está um texto retirado de um dos livros mais lidos em todo o mundo.

Há uns espaços em branco onde faltam duas palavras. As duas palavras são iguais para cada um dos espaços em branco.

Quais são as duas palavras em falta?

Até às 23.00 h. de hoje.


“E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente  ___ __________, que se voltou, mas não viu nada.
- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? Perguntou ___ __________. Tu és bem bonita...
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs ___ __________. Estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
- Ah! Desculpa, disse ___ __________.
Após uma reflexão, acrescentou:
- Que quer dizer "cativar"?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro os homens, disse ___ __________. Que quer dizer "cativar"?
- Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bem incómodo! Criam galinhas também. É a única coisa interessante que fazem. Tu procuras galinhas?
- Não, disse ___ __________,. Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços..."
- Criar laços?
- Exactamente, disse a raposa. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...”

 

domingo, 30 de julho de 2017

...

Imagem da net
 
 
Consegui ligar e atendeste. Isto de estar longe não ajuda. Dizes que estás bem mas sei que não estás. 
 
Há uns tempos atrás confidenciávamos uma à outra que não era só a dor da separação, mas, também, o medo de enfrentar a vida sozinha, sem um companheiro para nos dar a mão. Dizíamos que já não somos novas e que as marcas da vida estão bem vincadas no nosso corpo e no nosso rosto.
 
Fosga-se... a minha vontade era pegar no carro e fazer os 350 Kms que nos separam. Para estar ao teu lado neste momento. Não para falar....porque nenhuma palavra serve de conforto neste momento. Apenas para te abraçar e envolver-te no silêncio compreensivo. Naquele silêncio em que as palavas são supérfluas.
 
Afinal, a verdadeira amizade vive-se no silêncio de um olhar quando é preciso secar lágrimas...
 
Ainda na semana passada, toda entusiasmada, fazias planos para umas férias a quatro e eu respondi-te: "quando eu estiver de férias vê-se". Na altura ficaste aborrecida e disseste-me que eu estava a ficar muito pessimista.
 
Estás a ver porque não faço planos?

...

Imagem da net


Quando se quer, de facto, estar com alguém de quem se gosta, não há obstáculos que o impeçam.
 
Quanto mais não seja, em pensamento...
 
Fiquem com a música que, para mim, é um hino à amizade e está, inevitavelmente, no meu top 20 e na lista que estou a fazer. É do grupo que me faz companhia em mais uma longa noite de insónias!
 
A letra diz tudo...




sexta-feira, 28 de julho de 2017

...


E quando uma pessoa está prestes a levantar-se..."catrapum...".

Mais um soco no estômago que nos põe KO!

E uma relação termina...

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Do medo...e da força para o enfrentar...

Imagem da net
 
Por vezes acusam-me de ter uma memória selectiva.
E não estarão muito longe da verdade.
De uma forma geral recordo-me de todos os bons momentos que passei. Nesta parte não sou selectiva.
Mas o mesmo não poderei dizer relativamente aos maus momentos. É que nestes sou extremamente organizada. Como?
Bom, aqueles maus momentos que foram enfrentados e resolvidos estão muito bem "embrulhados" e guardados num baú que já deve estar cheio de pó e aranhas dado que nunca vou lá "mexer".
Mas temos aqueles maus momentos que nunca foram resolvidos por qualquer razão. Esses estão num "estendal" a apanhar sol e quando o tempo escurece e começam a cair os primeiros pingos de chuva, lá vou eu apanhá-los numa azáfama desenfreada para os esconder bem escondidos. Para não me perder a olhar cada um deles, à procura de alguma mancha ou nódoa que me tenha escapado da última vez... E são estes últimos que dão maior trabalho a guardar. Por isso, evito apanhar os "pingos de chuva".
Passados quase vinte anos enfrentei os "pingos de chuva" sabendo que não vou conseguir guardar. . Sabendo que vou encontrar manchas.
 
Não importa. Ouvi a música que tinha excluído da minha vida, apesar de ser uma das minhas preferidas.
Tal como afirma Johnny Depp,
"Você nunca sabe a força que tem. Até que a sua única alternativa é ser forte."
Fiquem com a música:
 


quarta-feira, 26 de julho de 2017

O que a vida me ensinou...


Imagem da net

Que não é o calcorrear dos anos que nos dá sabedoria ou maior capacidade de lidar com a vida.
 
São as desilusões e os fracassos que essa mesma vida nos dá.
 
 
Deixo-vos com uma música que tem a ver com o calcorrear da vida. Para mim, talvez a melhor música de Enya.

Quanto tempo dura o sexo?

Imagem da net


Ai pensavam que a ciência não se preocupava com o bem-estar do ser humano?

Brendan Zietch, psicólogo da Universidade de Queensland, Austrália, dedicou grande parte do seu tempo a encontrar a resposta para a pergunta que mais apoquenta o pessoal: quanto tempo é que deve durar uma relação sexual?

E como é que Zietch descobriu a resposta? Antes de mais, chegámos à conclusão que não foi experimentando porque ocupou o seu tempo a estudar os resultados que 500 casais de todo o mundo lhe fizeram chegar.

A forma era simples.

Primeiro havia que definir o que é isso de sexo, e chegou-se à conclusão que se devia definir “sexo” ”… como o tempo desde a penetração até à ejaculação…“.

Depois, os casais levavam para o quarto um cronómetro durante um período de quatro semanas “…para que documentassem exatamente o tempo que tinha durado o ato.”  Estou mesmo a imaginar o casal mais preocupado a clicar no cronómetro do que ir aos “finalmentes” (- ai...espera...já clicaste no cronómetro...; - quero lá saber da porra do cronómetro...). Já agora, em quatro semanas quantas vezes ? E se em quatro semanas não houvesse nada para ninguém? Mas, passemos à frente que o número de vezes não interessa nada...

Pelos vistos os resultados foram variados – desde 33 segundos até 44 minutos - (fosga-se...uns pecam por serem precoces e outros por atrasadinhos...).

Resultado final: Zirtsch obteve uma média de resultados de 5,4 minutos (em bold para verem melhor).

Ah, chegou-se igualmente à conclusão que a “… a localização geográfica mundial não parece ter grande relevância no que concerne ao tempo que demora a performance sexual. Embora em alguns países mais quentes a resistência se tenha verificado menor. Na Turquia, o cenário revelou um enredo bastante curto: a média de tempo chegou apenas aos reduzidos 3,7 minutos.”

Igualmente, concluiu que nos casais mais novos a média de tempo era maior. Nada de anormal. Ainda estão aprender.

Este estudo só reforça o que as mulheres sempre dizem: o importante são os preliminares…
 
Nota - Eu não inventei certo? A notícia é daqui.
 
A música de hoje não tem nada a ver com o tema mas são duas excelentes vozes e a letra...
 
 
 

Desafio Semanal - O vencedor...



... O Rui do Blog "Coisas da Fonte", os parabéns pela vitória na primeira edição do Desafio Semanal.
 
Mereceu pelo trabalho que teve. :)
 
Uma palavra de agradecimento à Afrodite do Blog "Jardins de Afrodite" porque foi graças a ela que o desafio arrancou esta semana.
 
O Francisco do Blog "Pensadorias & Trollitadas" sabia a resposta mas não a deu por entender que partia de uma situação de vantagem.
 
Uma palavra de agradecimento a todos os que participaram.
 
Por tudo isto, merecem todos o selo. Façam com ele o que bem entenderem.
 
Fiquem com uma das músicas (qualquer uma é sublime) da cantora escolhida pelo Rui.




Nota - Pedia à Catarina e à Esmeralda que, se assim o entenderem, indicassem o seu mail (para o mail ni.entreamigos@gmail.com)  para poder remeter o selo de participação.

Nota...

 
 
Estava eu a ter uma conversa com o meu amigo quando...a net foi abaixo.
 
Quase meia hora à espera...
 
Mais logo, sim, que já estamos num novo dia, tratarei de enviar os selos a todos os participantes e a fazer um post dedicado ao Rui, vencedor do primeiro desafio.
 
 

terça-feira, 25 de julho de 2017

E a minha flor preferida é...



Imagem da net
 
 
A tulipa...
 
As tulipas expressam o amor perfeito. Os significados das tulipas acoplados com a forma imediatamente indefinível de suas flores coloridas e demasiado elegantes, demasiado românticos, demasiado grandes, demasiado pequenos, ou demasiado brilhantes; a tulipa é sempre directa e justa.
E de que cor? Bom...
As tulipas vermelhas são o mais fortemente associados com amor verdadeiro.
Quando a cor é o roxo simboliza o luxo.
O significado das tulipas amarelas evoluiu de uma forma, que em vez de representar o amor impossível agora, vem a ser uma expressão para pensamentos e a luz do sol, transmitindo prosperidade.
 
As tulipas brancas são usadas para reivindicar valores ou emitir uma mensagem de perdão.
As tulipas coloridas, devido às vastíssimas variedades de cores, representam “olhos bonitos”.
 
Mas, depois, surge a tulipa negra. Significa elegância e sofisticação. Mas envolve uma lenda bonita que conta que a tulipa negra teve origem no drama de uma jovem persa que nutria um grande amor por um jovem de sua região, porém, seu amor não era correspondido e ao ser rejeitada, a jovem fugiu para o deserto e desesperada chorava muito. Em cada local da areia onde caia uma lágrima, nascia uma tulipa negra.
 
A minha flor preferida? Tinha 34 anos quando a recebi pela última vez: A tulipa vermelha (mas adorava receber uma tulipa negra).
 
Posto isto declaro vencedor o Rui porque foi quem mais se aproximou.

O Rui mandou a resposta por mail e foi muito explícito: aqui fica a sua mensagem na íntegra:

 "Coisas da Fonte Rui

 
 
15:48 (há 6 horas)

Se não mudaste de gostos entretanto, já confessaste que a tua :
Flor preferida é a TULIPA (ou vermelha ou preta ) !!!
 NI disse...
Djinn, para mim qualquer cor serve desde que seja tulipa.

Mas admito ter um gosto especial pelas vermelhas e pretas.

:-)
3 de novembro de 2008 às 13:56"


Mas todos vão levar o selo, quanto mais não seja por terem participado.

Amanhã recebem o selo por mail.
 

Então, a partir dos 50 anos o sexo já não é importante...



...Não é assim, Meritíssimos Juízes Conselheiros do STA?
 Podem ficar com a V/Douta opinião.
Felizmente ainda há quem julgue sem opiniões tão grosseiras, obsoletas e vetustas, como aquelas que proferiram quando decidiram baixar a indemnização à mulher vítima de negligência médica numa cirurgia ginecológica, que afetou a sua vida sexual alegando que a "...sexualidade não é tão importante para uma mulher de 50 anos e com dois filhos como para alguém mais novo...".
Pergunto: Se a vítima fosse um homem, o Acórdão era diferente?
 
Às vezes envergonho-me de ser uma mulher de leis.
 
 
 

Desafio Semanal...



Começa aqui uma nova rubrica do estaminé.

E o primeiro é muito simples: só têm que acertar na minha flor preferida e escolher a música que querem recordar.
 
Quem acertar na resposta tem direito a que seja colocada aqui a sua música e irá receber um selo.
 
Até às 22.00 horas.
 

Adenda:

1. Não vou responder a nenhuma das respostas para não me descair. O(A) vencedor(a) será conhecido(a) por volta das 22.15 horas.

2. Mea culpa, porque podia ter sido bem mais precisa, mas resposta correta é aquela que faça referência à flor e cor. Certo? Afrodite, se puderes, acrescenta a cor.

3. O selo vai ser qualquer coisa como este:



Bons palpites...

 

segunda-feira, 24 de julho de 2017

...


“Tomei consciência de que a força invencível
que impulsionou o mundo não foram os amores felizes,
mas os contrariados.”
Gabriel Garcia Márquez, em “Memórias de Minhas Putas”


Histórias de amor arrebatados ou platónicos. Jovens perdidamente apaixonados impedidos de concretizarem o seu amor. Separação, partida, ou mesmo morte como destino final e previsível…

Desde sempre a literatura criou personagens ou deu a conhecer histórias verdadeiras que trouxeram até aos nossos dias casos de amor impossível.

A mitologia grega deixou-nos a história de amor de Páris e Helena de Tróia.

Os celtas presentearam-nos com uma lenda que remonta ao séc. XIl: Tristão e Isolda.

De Paris do século XII chega-nos a história verdadeira de Abelardo e Heloísa.

Camões no seu Canto III dos Lusíadas dava a conhecer ao mundo uma história verídica e trágica do mundo medieval português: o amor único e verdadeiro de Pedro e Inês de Castro.

E o que dizer do amor trágico de Romeu e Julieta criado por William Shakespeare?

Ou do amor utópico de D. Quixote pela sua Dulcinéia descrita por Miguel de Cervantes?

E não foi só a literatura.

Quem não conhece a história do amor impossível de Ilsa e Rick levado à tela em 1942 por Michael Curtiz? Dito assim poucos reconhecerão os olhares únicos trocados por Humphrey Bogart e lngrid Bergman em “Casablanca”.

Ou o amor que não vinga pelos preconceitos de uma sociedade hipócrita retratada por Scorsese no filme “A Época da Inocência” com o “único” Daniel Day-Lewis e Michelle Pfeiffer?

E quem não se emocionou com o amor intenso e impossível de Seth que “…abriria mão de toda a eternidade nem que fosse para tocá-la uma única vez”.(Maggie)? Nicolas Cage e Meg Ryan deram corpo à “Cidade dos Anjos. O argumento e a música de Sarah McLachlan e Goo Goo Dolls, fizeram o resto.

Mas o mais importante são as questões que isto do "amor" coloca.
 
Por que motivo são as histórias de amor impossíveis que perduram no tempo e vão preenchendo o imaginário das pessoas?

Será que não há histórias de amor que acabem bem? Será que cada um de nós, no seu íntimo, se identifica com uma história de amor impossível?
 
Ou, melhor ainda, será que o amor existe mesmo? Não será algo que alguém se lembrou de inventar para manter o pessoal entretido?

Bom...


E de uma assentada eliminei dois post's inadvertidamente.

Peço desculpa a todos.

E hoje deu-me para isto...


 
Para me levantar e decidir...ficar em casa!
 
As noites de insónias teimam em continuar e hoje não iria conseguir dar o meu melhor. Pois, a idade é lixada, o que vale é que tenho a sorte de ainda dias de férias do ano passado por gozar. 
 
Já sei que vou ter que responder aos mails que inevitavelmente continuarão a chegar e de trabalhar num dos projetos que tenho em mãos. Mas ao meu ritmo e sem telefones a tocar e pessoas a entrar e a sair do gabinete.
 
E, nos "entretantos", vou aproveitar o dia para responder a alguns mails pessoais atrasados e piscar o olho às minhas séries preferidas.

E o dia começa...




domingo, 23 de julho de 2017

E uma pessoa tem consciência...



...que já não tem salvação possível quando passa a noite a ouvir isto...
 
E tudo porque queria esquecer uma música que sempre me recusei a colocar neste estaminé mas um amigo fez isso por mim...

Ai mi madre...


 

Pensamento do dia...


Imagem da net
 
 
Caso contrário...estava feita!
 
Mas, agora, não me apetece falar disso...
 
 
 

...


Como uma simples música nos faz viajar ao ano mais agridoce da nossa vida...

Ao ano em que mais sofremos  mas também aquele que nos deu a maior alegria do mundo.


sábado, 22 de julho de 2017

Certo...



Já não chegava ter uma cadela, uma gata e um peixe.
 
O maridão deve sentir-se sozinho e aparece-me em casa com uma gata enooooooooorme, com um rabo que parece um autêntico espanador a largar pêlo por todo o lado e com uma especial apetência para subir móveis e afins.
 
E no final quem acaba por tomar conta do jardim zoológico caseiro? Certo...
 
A sério...tirem-me deste filme...
 
E para o dia acabar da melhor forma, vou sair agora para apresentar à noite o festival de folclore com previsão de chuva...
 
São só coisas boas!
 
A música que agora estou a ouvir é esta:
 
 
 
Tenham um grande fim-de-semana.

És fiel?

Imagem na net
Ora muito bem, quando pretenderem "arranjar uma vidinha a dois", não olhem nem para o corpinho, nem para os olhos e nem para a boca...olhem para as mãos.
 
Vão dizer já, claro que sim. As mãos são importante. Umas mãos cuidadas revelam muito sobre a pessoa.
 
Nãaaaaaaaaaaão. Não é nada disso que estou a falar. Olhem para o tamanho dos...dedos.
 
É que, segundo mais um daqueles estudos estapafúrdios (tornado público em 2016 mas que voltou à baila), desenvolvido por professores de de Oxford e Northumbria, o tamanho dos dedos está intimamente ligado ao nosso comportamento sexual.
 
Por outras palavras, o tamanho dos dedos de uma pessoa está ligado diretamente com a quantidade de parceiros sexuais que terá ao longo de sua vida.
 
Tomem lá, e embrulhem!
 
Neste estudo conseguiram descobrir quem revela uma maior fidelidade sexual e quem revela comportamento sexual mais promíscuo (os termos são do estudo, não meu).
 
Então, quando estamos com alguém, como verificar se a pessoa tem tendência para ser fiel ou não?
 
Então, é assim: "...quanto mais pequeno for o dedo indicador quando comparando com o anelar, maiores foram os níveis de testosterona a que a pessoa esteve exposta quando se desenvolvia no útero e maiores os níveis de promiscuidade na idade adulta – os resultados aplicam-se tanto a homens como a mulheres."
 
Ah, e quanto menor for a diferença entre o tamanho dos ditos cujos, maior é a propensão para relações  duradouras.
 
Pois...estou mesmo a imaginar um primeiro encontro...
 
E se estamos a falar de dedos, a música só podia ser esta (que saudades...)
 
 

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Pensamento do dia...

Imagem da net
 
 
"É fácil amar o outro na mesa do bar, quando o papo é leve, o riso é farto e o chopp gelado.
É fácil amar o outro nas férias, no churrasco, nas festas ou quando se vê de vez em quando.
Difícil é amar quando o outro desaba, quando não acredita em mais nada e entende tudo errado. Quando paralisa, perde o charme, o prazo, a identidade e a coerência. Nessas horas que se vê o verdadeiro amor, aquele que quer o bem acima de tudo. É esse o amor que dura para sempre, na verdade, esse é o único tipo que pode ser chamado de amor."
Ana Jácomo


Pois, é lixado quando o outro desaba por qualquer motivo. Quando o corpo deixa de ser o que era e as rugas sulcam a pele outrora lisa.
 
Afinal, há tantas outras de aparência irrepreensível...porquê perder tempo com alguém que já não tem grande interesse?
 
 

Como ficar com uma mama gelada...

Imagem da net
 
 
A receita é simples:
 
1. Uma colega que se esquece da garrafa de água de litro e meio na cantina;
 
2. Armar-se em boa samaritana e oferecer-se para levar e entregar a garrafa;
 
3. Apanhar a meio do caminho um daqueles colegas chatos que nos questionam sobre coisas sem sentido só para dar duas de letras;
 
4. No entretanto, e porque tem a carteira, uma outra garrafa de meio litro e um pão que pediu mas que entretanto não comeu porque a fome ainda não bateu à porta e, ainda, porque tem que repor a dose de nicotina, colocar a garrafa gelada bem encostadinha à mama...
 
Fosga-se...mais um bocadinho e a mama ficava igual ao coração...assim, cada vez mais parecida com a Elsa...
 
 
 

Porque hoje me apetece dizer isto...

Imagem da net

Existe sempre alguém
Alguém que guarda os teus sonhos e as tuas angústias

Existe sempre alguém
Que te dá a mão e guia os teus passos

Existe sempre alguém
Que se esconde na esquina escura e ilumina o caminho

Existe sempre alguém
Que te acompanha na sombra

Existe sempre alguém
Que está dentro de ti mas que não se deixa prender

Os sonhos não se podem aprisionar...


Pois...as insónias são lixadas!

A música que estou a ouvir é esta...


quinta-feira, 20 de julho de 2017


Imagem da net
 
 
"Aí vem a vida e esfrega na sua cara
o que a intuição tentou avisar"
Fernanda Estellita
 
 
A música é esta.
 
 

Olha que bom...que maravilha... verdadeiramente fantástico...


- Mas porque decidiram dessa forma?
- Não havia outra forma.
- Mas assim não dá para irmos espairecer uma semana.
- Em casa também se descansa.
- Certo. No trabalho também.

Já desmarquei os meus 15 dias de férias. Entre ficar em casa e vir trabalhar...prefiro vir trabalhar...

E ouvir esta música no volume máximo...

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Ao desconhecido...


 
"Quando eu me afasto,
é porque eu quero que você se aproxime."
Autor desconhecido
 
A sério? Ainda bem que és desconhecido, caso contrário diria umas belas verdades.
 
Mas como hoje já me acusaram de estar muito cínica, amarga e sarcástica, (ok, chamaram-me mais qualquer coisa mas vamos fazer de conta), deixa-me estar caladinha...
 
A música...pois, só pode ser esta...em homenagem ao desconhecido...
 
 

Enquanto tento trabalhar...


Imagem da net


No sábado, a exemplo dos anos anteriores, vou apresentar um Festival de Folclore (única atividade na área que mantenho desde que deixei a rádio).
 
Enquanto preparo os historiais dos grupos, vou desviando o olhar para a televisão e revejo o filme "Tinhas mesmo que ser tu" que está a passar na FOXlife.
 
Para alguém que faz um enorme esforço para apagar o seu lado romântico, este filme faz mal...muito mal...
 
Para quem ainda acredita, é lindo...
 
Fiquem com um dos temas que que faz parte da banda sonora. Os Corrs...
 
 
 
Nota -Quem quiser ver o filme pode ir até ao You Tube e procurar por "Leap Year"
 

terça-feira, 18 de julho de 2017

Pensamento do dia...

Imagem da net
 
Bom, ou vai embora precisamente por dizermos aquilo que sentimos...
 
Certo! Estou a ser  assim para o cínico!
 
A música? Vamos até 1982 (mi madre, tinha 16 anos) e ouvir Roupa Nova.
 
 
 

Afastamento...

Imagem da net


"Eu sou assim, se você se afastar de mim,
eu vou achar que incomodo
e vou me afastar também..."
Bárbara Coré
 
Se me perguntassem que comportamento mantenho desde criança, eu diria que é aquele que me impede de impor a minha presença a quem não a deseja.
 
Para o bem e para o mal, sempre consegui sentir quando estava a mais e/ou não desejavam a minha presença.
 
E, desde sempre, o meu comportamento é sempre igual: nunca fazer-me de "auto convidada" e quando sinto que estou a mais, quando sinto que a minha presença já não é desejada, afasto-me...
 
Tão simples quanto isto!
 
Custa? Quando as pessoas são importantes, claro que sim.
 
Porque não mudo? Porque não imagino impor a minha presença a quem não a deseja.
 
Fiquem com a música que estou a ouvir no máximo e...tentem ser felizes...
 
 
 

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Das Escolhas...

Imagem da net
 
"São as nossas escolhas, mais do que as nossas capacidades,
que mostram quem realmente somos."
 
(Alvo Dumbledore - Harry Potter e a camara secreta)

Não sei o que o futuro me reserva mas hoje tive a certeza de que a minha escolha mostrou quem sou. E sem falsa modéstia, sou uma pessoa corajosa e sem medo de enfrentar os desafios.

Sem medos de não conseguir cumprir. Sem complexos.

Fiquem com um dos grandes responsáveis por eu gostar de música.

"África Minha", "Dança com Lobos", "Zulu", "Persuaders", "Mary, Rainha da Escócia", "O Abismo Negro", "Choque de Galáxias","King Kong" e os temas da saga "Bond" devem muito à magia da música intemporal de Jonh Barry que nos deixou em janeiro de 2011.

Leva-nos para lugares onde só a mente consegue chegar...E, sim, confesso, é dos poucos compositores que não consigo ouvir sem chorar... mas chorar faz bem!

Não consigo escolher um tema. Fiquem com vários...
 
 
 
 
 
 
 
 

RIP...


Série 1999 - Imagem da net

Ainda no ano passado, num ataque de nostalgia fortíssimo, passei as minhas férias a revisitar todos (mesmo todos) episódios do espaço 1999 que, a par do Sandokan e do Verão Azul me fizeram companhia ao longo da minha infância e juventude.

Esta manhã acordei com a notícia da morte de Martin Landau. Ficará para sempre como comandante da base lunar Alpha, John Koenig.

Mas Martin Landau foi mais do que o comandante John. Martin foi um grande ator que viu a sua carreira premiada com a atribuição em 1995 de um Óscar pela sua brilhante interpretação no filme de Tim Burton "Ed Wood".

Obrigado Martin, pelos sonhos, pela magia, por todos os momentos únicos que me proporcionaste.

E tudo começava assim...


domingo, 16 de julho de 2017

Segundo dia do marés vivas...

 
É difícil destacar um espectáculo de ontem. Estiveram todos à altura.
 
Amor Electro não desiludiu.
 
Os Expensive Soul fazem sempre excelentes espectáculos ao vivo. A dor no raio da perna impediu-me de ficar até ao final.
 
Scorpions, é a segunda vez que assisto a um espectáculo deles e no mesmo espaço. É incrível como ainda conseguem manter aquele ritmo. Nenhuma surpresa mas deu para viajar através dos tempos.
 
Lukas Graham, para mim, a boa surpresa da noite. Excelentes músicos (a parte de metais estava fantástica) e grande voz. Encaixou na perfeição naquele pôr-do-sol único.
 
Parte negativa do dia de ontem: O Marés Vivas precisa de um espaço maior. No espetáculo dos Scorpions foi tal a confusão que quando dei por mim vi-me sozinha e só no final consegui reencontrar-me com a minha cara metade.


Hoje, à espera de uma confusão ainda maior, vou ver este menino:




sábado, 15 de julho de 2017

Mas ontem...foi assim...



Com esta paisagem...

 
Com a melhor companhia do mundo...
 
Os melhores, para mim:
 
 
 

Miscelânia...


Hoje...vai ser assim...




Porque, alguém, em algum lugar...

 
 
Mesmo que não esteja lá...
 

Vai estar...porque o amor é assim...
 

E juntos são mais fortes...
 
 
 

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso