quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Acrescenta-me um ponto...

Desafiada pelo Confuskos do cantinho  "As cartas que nunca te escrevi"aceitei (sob coacção, diga-se) participar neste projecto. Espero não te ter defraudado.
Passo este desafio à A Minha Essência do cantinho "ROUPA PRÁTICA" porque gosto da forma como ela transmite o que sente.
Vamos lá:

De acordo com o Gonçalo Cardoso, o autor da ideia, "esta rubrica surge da necessidade de renovação e intensificação do espírito de unidade e imaginação da blogosfera e pretende que cada um dos bloguistas seleccionados seja autor de um parágrafo de um texto realizado em conjunto por vinte bloguistas." O tema eleito é o EROTISMO.
Regras da Rubrica "Acrescenta-me um ponto!":
1 - O texto, constituído por vinte parágrafos, terá início no blogue "O Sabor da Palavra" (http://osabordapalavra.blogspot.com), segundo o seu autor Gonçalo Cardoso.

2 - Cada bloguista terá direito a um parágrafo do texto com o máximo de cinco linhas.

3 - Após a realização do parágrafo respectivo, cada bloguista terá que seleccionar outro bloguista que cumpra a continuidade do texto, segundo as regras mencionadas.

4 - Cada bloguista terá o limite máximo de três dias para realização do parágrafo, estando sujeito a desclassificação da rubrica e seleccção de novo bloguista por parte do seu autor.

5 - Cada bloguista assinará o seu nome e respectivo blogue na lista dos participantes.

6 - O último participante ou autor do vigésimo parágrafo, finalizará o texto e partilhará com o autor do blogue "O Sabor da Palavra" para a sua divulgação no blogue inicial.

7 - Sejam criativos.
Nota 1 - Estou mais do que dentro do prazo (o desafio foi-me lançado há uns minutos).
Nota 2 - Cumpri as cinco linhas (nem eu acredito).

COMEÇOU ASSIM...

Gonçalo Cardoso
"20 horas. Jantar no Hotel Ritz. Jorge, um delegado de propaganda médica, observa o charme de Leonor, uma jovem e ambiciosa advogada, de olhar penetrante, lábios carnudos e um vestido de cetim justo, com um decote revelador da sua pele delicada e fina. Do outro lado da mesa, Leonor pede a Jorge que lhe sirva um cálice de vinho tinto, enquanto repara na sua barba cuidada, nos olhos verdes e na camisa justa e semi-aberta..."

Scarlet Perry
À medida que o vinho quente e escarlate cai no seu copo largo e obscuro, Leonor recorda o primeiro encontro sexual de ambos: os cheiros, os fluídos, os sons e sensações...e sente-se de repente algo desejosa de Jorge. Deu um pequeno golo e lambeu uma gota malandra que cismou em ficar nos seus lábios carnudos e desenhados com uma cor forte.
- Estou louca por te sentir! - Sussurrou ela - Não sei quanto tempo mais aguentarei!"
 

 
Puzz
"Jorge coloca a mão direita sobre a mesa convidando outra mão a aconchegar-se dentro da sua. Leonor responde com um gesto delicado tocando-lhe suavemente e encaixando a sua mão no conforto da dele.
-Desejo-te a cada minuto. - Diz Jorge com uma voz quente e aconchegante, pensando que quando está com ela todo o mundo e os seus problemas desaparecem, e as suas tumultuosas vidas parecem fazer algum sentido. - Quando te vou ter só para mim? - questiona-a em jeito de desabafo."

S*
"Ela sorri, com aquele jeito malandro de quem quer mais mas teima em não o admitir. Sem se aperceber, deixou-se enrolar num mar de emoções com este homem de olhos verdes. Não quer só mais um encontro. Não quer só mais uma noite. Como dizer-lho? Mordisca o lábio num tique nervoso. Ajeita o cabelo, ergue os olhos e enfrenta-o.
- “Desta vez o jogo vai ser jogado segundo as minhas regras. Aceitas?”

Malena
 “Aceito!”- responde-lhe, enquanto a sua mão aperta mais a dela.
Jantam quase em silêncio, os joelhos de ambos roçando-se... Os olhos de Jorge mal seguem os movimentos do garfo, presos a ela, expectantes, observando-lhe o peito ofegante, os lábios trémulos que tantas vezes afloraram cada recanto do seu corpo … Mal acabam, surpreende-se pela forma súbita como ela o arrasta pela mão até ao carro. “Deixa que te guie ao meu mundo!”- diz-lhe ela."

Orquídea Selvagem
"E ele deixou-se conduzir por aquela mulher que lhe inebriava completamente os sentidos. Entraram no Alfa Romeo Spider descapotável de Leonor e dirigiram-se a uma velocidade vertiginosa até a um palacete luxuoso na linha de Cascais, onde decorria uma festa privada só para adultos. Antes de saírem do carro, ela debruça-se sobre a bagageira e de lá retira uma venda para os olhos de cetim preto e duas máscaras com pequenas plumas e brilhantes. Jorge disfarça o seu embaraço... dá-lhe a mão e entram juntos na festa."

Me
 "Abrem-se as portas do palacete, estilo árabe, colocam as máscaras e entram… Jorge não consegue disfarçar a admiração perante a grandiosidade daquele espaço soberbamente decorado, incitando à luxúria. Entram num salão amplo, onde uma sensual morena, apenas em lingerie toca piano, acompanhada de um par dançante… As pessoas estão elegantemente vestidas, e o ambiente é altamente excitante, quente, erótico… onde o sexo deixa de ser “pecado”, onde a palavra proibido é eliminada!... Ao fundo do salão ergue-se uma majestosa escadaria que conduz aos quartos temáticos…
- Subimos?... pergunta Leonor num tom quente e convidativo."

El Solittario
"Jorge engole em seco,,, uma das suas fantasias está prestes a se tornar realidade,,,todo aquele ambiente transpira sensualidade, sexualidade, vontade, tesão,,, decidido dá-lhe a mão,,, Leonor encaminha-o para o andar de cima,,, lentamente sobem os degraus,,, um a um,,, à medida que se aproximam do topo os murmúrios provenientes dos quartos tomam forma de gemidos, sussurros de prazer,,, Já no andar de cima Jorge depara-se com um longo corredor ladeado de tochas,,, Leonor, aproxima-se da primeira porta,,, abre-a,,,"
Just Me
"O espetáculo que se lhe oferece é um festim para os seus sentidos... Mas, é nesse momento que Leonor o trava e lhe diz... "-Tens muitos quartos aqui... só podes escolher um... e vais ter de o escolher sem saber o que está nos outros... Queres ficar por aqui?" Jorge fica especado por momentos a admirar o espetáculo que se desenrola à sua frente... Uma mulher despindo-se, provocando... Olha para Leonor e apenas com o seu olhar recusa este quarto... Aproximam-se da segunda porta, abrem-na... Dois pares de olhos fixam-nos como que a perguntar... "-Juntam-se a nós?"
 

Patife
"O magnetismo que incendiava o olhar não deixou espaço para dúvidas ou recusas. Fecharam a porta atrás de si sem se aperceberem que estavam a abrir uma outra porta nas suas vidas. Lá dentro, a dança dos corpos desvendava uma intensa alquimia. Encostada à pele, a lascívia mistura-se, entranha-se e enlaça. Na ânsia que os corpos a absorvessem. Jorge trepidava. Por dentro. Os seus dedos percorriam os contornos da pele húmida sem se atreverem a penetrar. Lábios como chamas, olhares como fagulhas do desejo. Até que Leonor se aventurou a percorrer as escalas do desejo e os corpos inflamaram-se, provocando o degelo dos corpos quentes."

Stargazer
 "Naquele quarto envolto na penumbra, onde apenas uma lareira crepitava, pintando o ambiente de tonalidades vermelho e laranja paixão, Leonor foi-se deixando derreter nos braços daquele homem intenso. Jorge, inebriado pelos suspiros que Leonor deixava escapar por entre os seus lábios carnudos, sentia-se arrebatado por tanta volúpia, numa tempestade que ameaçava afogá-lo nas águas turbulentas do desejo.
Foi então que a porta se abriu e no seu limiar surgiu uma figura que ninguém esperava: ali estava ela, mais esplendorosa do que nunca, com um vestido branco translúcido, que lhe pendia do ombro em suaves pregas e lembrava uma imagem da Deusa grega Afrodite. Os seus longos cabelos de caracóis negros envolviam-lhe o rosto de uma beleza estonteante, e roçavam o seu outro ombro nu, numa carícia sedutora, transformando-a numa aparição que rondava o divino.
- "Boa noite", disse ela, dando um passo decidido em frente."


Libertya
"Jorge parou e olhou para a figura que se apresentava diante dos seus olhos, completamente enfeitiçado. Leonor sorriu maliciosamente e com uma cumplicidade notável, pediu para que avançasse. Quase que flutuava tal era a sua graciosidade, posiçionando-se por detrás dele.Beijou-lhe o pescoço, desconcertando-o. Deixou que o seu toque o arrepiasse, subindo pelo seu ombro, Leonor estava deliciada e fitava-o, os seus olhos estavam raiados de desejo e luxuria. Tirou-lhe a máscara, deixando que a outra figura feminina lhe pusesse a venda de forma calma, apenas ela veria aqueles olhos verdes magnetizantes naquele momento, seriam apenas seus. Jorge ouviu um sussurro...
  - Abandona-te e, prepara-te para o êxtase...

Venus in red
... sentindo o murmúrio quente soprado no ouvido, tentou tomar consciência do tinir que teimosamente o despertava e, com os olhos ofendidos, pela claridade repentina, percebeu que…afinal… vivera um sonho... (?!)
 "Senhores passageiros, fala-vos o comandante. Em nome de toda a tripulação, esperamos, que tenham tido um voo agradável e, informamos que dentro de momentos, preparamos a aterragem em Veneza. Desejamos...".
Amaldiçoando a voz masculina que soava ao microfone, tentou recompor-se... - hmmmm... algo estranho se passa - pensou…
Procurava localizar-se, quando o seu olhar chocou com a bela mulher instalada na poltrona a seu lado, logo, recordando a primeira vez que a vira, no embarque. Ficara então bastante impressionado, pela sua figura e feminilidade.
Jorge, ergueu-se ligeiramente e voltou a sentir algum desconforto… levantando o agasalho que lhe cobria as pernas, viu em sobressalto, que o fecho das suas calças se escancarara, revelando o seu sexo húmido e (ainda) com sinais de claro intumescimento…
Desconcertante!
Prendeu sem medo o olhar na companheira de viagem que, fitando-o, se levantou e, pedindo licença, passou à sua frente, "perdendo" no seu colo, um papel dobrado. Dirigiu-se à cauda do avião.
Jorge, permaneceu sentado e, ainda atordoado abriu o papel. "Bem vindo ao Carnaval de Veneza! Com uma máscara dourada...
Continua a tua fantasia! 041 5051809"

Gadreel
Jorge estava atónito com a situação, não conseguia colocar a ideias no lugar. Se, por um lado, vivera uma irrealidade durante o sonho, a dama que estava ao seu lado era real, bela e sedutora. Durante a pequena viagem que o leva para fora do Aeroporto Marco Polo até ao centro de Veneza, não tira os olhos na mensagem deixada pela companheira de viagem. Tem vontade de ligar para o número que ela lhe deixou, mas não lhe parece um número de telemóvel. Arrisca, vai a uma cabina telefónica e marca...do outro lado, aparece uma voz que em tom acelerado lhe diz “ Palazzo Abadessa, buon pomeriggio”...desliga a chamada, fica intrigado! Dirige-se ao cais de embarque para apanhar uma gôndola até ao hotel onde ira passar uns dias. A meio da viagem, vira-se para o gondoleiro e mostra-lhe o papel, diz-lhe que o número é de um sítio chamado Palazzo Abadessa...o gondoleiro sorri e, com um ar malandro diz-lhe “Amico, è la patria di Casanova al Carnevale di Venezia...quasi nessuno ha accesso... lussuria “

AC
A tentação é enorme, a provocação imensa...Jorge hesita se há-de ir até ao hotel tomar um duche refrescante e descansar da viagem, ou seguir para o Palazzo Abadessa... mas a curiosidade, o desejo latente e a palavra luxúria cegam-no completamente. Arrisca. Antecipa o prazer do desconhecido, da aventura, e sente uma vontade incontrolável de viver esta nova experiência. Manda entregar as malas no hotel e pede ao gondollieri que o leve de imediato ao fantástico palácio. Na imponente entrada é recebido por uma mulher lindíssima apresentando-se completamente nua, segue-a até uma sala onde lhe ordenam que se dispa na integra, estremece, mas segue à risca a ordem e antecipa alguma excitação..Depois de nu é conduzido a um quarto no primeiro piso onde encontra Leonor também ela despida, exposta, vulnerável, de pulsos atados acima da cabeça com uma fita de cetim... sussurra...
Surpreende-me!

Confuskos
Após tais palavras, Jorge jura a si mesmo cumprir o pedido e aproxima-se de Leonor, apoia o joelho na cama onde esta se encontra e olha-a… da cabeça aos pés! Consome cada fôlego como se fosse o último e o seu olhar intenso penetra-a até à alma!
Com a ponta dos dedos percorre o corpo de Leonor, esta arrepia-se e estremece perdida por entre o desejo e o incerto… os dedos dele começam por subir dos pés aos joelhos, onde a mão muda de posição e começa a tocar-lhe com as costas da mão, sobe ao seu ventre evitando tocar-lhe no sexo, mas dobra-se sobre ela e beija-lhe o “Monte de Vénus” cujo tufo peludo em forma triangular lhe indicam o sentido do prazer… mas ele ignora e se o primeiro beijo foi fogaz, segue-se um beijo quente e longo na sua barriga de pele suave e cheia de sensações!
Levanta o olhar, vislumbra os seios de Leonor e avança para estes…

Ni

Mas o seu calor atormentava-o e, afastando-se, desata a fita de cetim que prendia as mãos de Leonor e, num movimento sôfrego, coloca-a de costas. Jorge não entendia as emoções que experimentava naquele momento. Apenas sabia que tinha que a fazer sua. Leonor fechou os olhos no momento em que sentiu a dureza da sua erecção entre as sua pernas, despertando nela um desejo que tinha que ser saciado.

Lista de participantes:
1- Gonçalo Cardoso / O sabor da palavra
2 - Scarlett Perry / Scarlett Perry
3 - Puzz / HeliPuzz
5 - Malena / Da Malena
6 - Orquídea / Orquídea Selvagem
7 - Me / Play with me...
8 - El Solitario / El Solittario
10 - Patife / Fode fode Patife
11 - Stargazer / Postcards from Heaven
12 - Libertya / Libertya
13 - Venus In Red / Voluptás
14 - Gradeel / Paradise Lost
16- Confuskos/ ascartasquenaoescrevi.

18- A MINHA ESSÊNCIA / ROUPA PRÁTICA

12 comentários:

Tanita disse...

Adorei, vou continuar a seguir este encontro.

Confuskos disse...

Ui ui ui!!! Teos mulher!!!! :P

Beijinho*

AC disse...

Muito giro, a estória está a ficar cada vez mais hot...

Malena disse...

Finalmente saímos dos preliminares!!! Grande NI!! ;)
Beijinhos

Karochinha disse...

Ena, ena, muito bem! O que se seguirá? Quero ler!
Beijocas nossas ;)

Orquídea Selvagem disse...

Bem... a história está apenas a 3 capítulos de encerrar!! Alguém tinha de desatar o nó!! Muito bem Ni... finalmente deixamos os "entretantos" e caminhamos a passos largos para os finalmentes.

Não queria ser eu a finalizar a história. (desta já me safei... hehehe)

Beijinhos embrulhados com a fita de cetim [que o Jorge tirou das mãos de Leoor] :)

S* disse...

Ainda bem que fui das primeiras... isto aqueceu!!

Bloguótico disse...

Cheguei a fazer algo parecido no "crónica" mas não com estas proporções! Sem dúvida, uma ideia original e... sem fim à vista! :p

Utena disse...

Ui está muito boa sim senhora

A Minha Essência disse...

Mais uma vez, obrigada pelas tuas palavras e pela confiança.

Obviamente que aceito o desafio! ;)

Kiss

só 1 mulher disse...

Que história... até agora muito bem conseguida! Parabéns aos intervenientes.. vou seguir

1 beijinho

Eli disse...

Já há algum tempo que não lia esta história e evoluiu surpreendentemente!

Mensagens

Arquivo do blogue


Porque não defendo:guetos, delatores pidescos, fundamentalismos e desobediência civil. Porque defendo o bom senso